‘Batman vs Superman’ supera expectativas

Filme da DC Comics, que dá início à união da Liga da Justiça, é melhor que seu antecessor ‘Homem de Aço’, mas ainda precisa caminhar um longo percurso para alcançar a concorrente Marvel

maxresdefault

Em um passado não muito distante (2013, pra ser exato), Ben Affleck foi alvejado por críticas na internet ao ser eleito o próximo ator que daria vida ao Batman. O resultado finalmente poderá ser conferido a partir desta quinta-feira, quando chega aos cinemas o esperado Batman vs Superman: A Origem da Justiça. As previsões agourentas passaram perto da realidade. Affleck é um bom ator e faz o que pode para vestir a carapuça do herói, agora um quarentão quase aposentado. Mas é difícil engolir o personagem repaginado após o primoroso trabalho de Christian Bale, o mais recente a interpretar o homem-morcego em três ótimos filmes. A sorte de Affleck (ou do novo Batman) é que ele não chega ao cinema sozinho.

A nova produção da DC Comics traz um pacotão de super-heróis e alguns vilões para narrar a rixa entre os dois personagens carros-chefes da editora de quadrinhos. O roteiro transita entre ação e drama. Enquanto algumas cenas são confusas, outras são estimulantes e bastante ousadas. O resultado é satisfatório e promete deixar os fãs, até então ressabiados, contentes.

Para quem não quer nenhum spoiler, pode ler em paz os dois próximos parágrafos.

O diretor Zack Snyder, o mesmo do longa inicial O Homem de Aço (2013), mostra que está mais solto na direção das tramas da DC. Ele lança mão de recursos estéticos para separar o trio principal. Em um lado está Bruce Wayne, o Batman, mais sombrio, com cenas frias e uma fotografia acinzentada. Para compor a lacuna da história do personagem, rápidos flashbacks narram o que todos já sabem. Wayne perdeu os pais ainda na infância para um criminoso de rua, em um ato infundado de violência. Já Superman dá continuidade ao filme anterior, com um clima mais quente e em tom épico. Ele vive sua dupla jornada de jornalista e herói, enquanto acompanha de perto as peripécias da namorada aventureira Lois Lane (Amy Adams). O triângulo se fecha com a trama de Lex Luthor (Jesse Eisenberg), que encarna um momento mais cômico, como o vilão psicopata com falas nonsense e cabelo rebelde. Entre os três, permeia a bela e misteriosa Diana Prince, ou Mulher-Maravilha (Gal Gadot).

Wayne vê com desconfiança os poderes sobre-humanos do Superman. Especialmente depois que o nome do herói alado é envolvido em um atentado terrorista na África. Ele desiste da aposentadoria e tira a poeira da armadura de Batman, com o intuito de investigar o que aconteceu no local e descobrir como deter o alienígena malhadão. Do outro lado, o homem de aço não gosta da maneira de agir do Batman, e passa a seguir os passos do morcego. Durante a perseguição mútua, Luthor age livremente, manipulando todos ao redor e criando o grande malvadão do filme, Apocalypse, um ser de origem kryptoniana.

Ao longo da investigação promovida por Lois, descobre-se que toda a briga entre Superman e Batman tem sido minuciosamente tramada por Luthor. Ele é o pai do atentado na África e, mais tarde, de uma explosão absurda em uma audiência nos Estados Unidos, que julgaria os atos heroicos, ou nem tanto, de Superman. Os dois acontecimentos aquecem os nervos ao redor e, além de Batman, toda a população passa a questionar a liberdade de um alienígena superpoderoso em agir como bem quer em outro planeta.

Wayne ainda é atormentado por sonhos e visões, que reforçam sua rivalidade com o alterego de Clark Kent. Em um deles, Batman se vê em um futuro desolador, em que Superman domina com mão de ferro a humanidade. A cena é bela e parece ser parte de uma realidade paralela, mas fica sem propósito no filme como um todo. O personagem também consegue hackear Luthor e descobrir que outros seres especiais, como Superman, existem. Caso da Mulher-Maravilha, Flash e Aquaman.

O embate final entre os dois acontece depois que Luthor sequestra Lois e também Martha (Diane Lane), mãe de Clark. O vilão ameaça Superman e pede a cabeça de Batman. Os dois se digladiam por um longo período, até que uma coincidência faz nascer a amizade: a mãe de ambos se chama Martha, o que acende uma fagulha de paz entre os heróis. Sério.

Por enquanto, essa é a quantidade máxima de spoilers cabíveis para não estragar a emoção de ver o filme. A sensação final é que a produção, que dá início à união da Liga da Justiça, é mais empolgante e bem feita que seu antecessor, O Homem de Aço. Porém, quando o todo é comparado ao caminho já trilhado pela concorrente Marvel, que criou um universo cinemático quase impecável, Batman vs Superman prova que a briga mais excitante do ano será mesmo travada em abril, entre Homem de Ferro e Capitão América.

Fonte: http://veja.abril.com.br/noticia/entretenimento/batman-vs-superman-supera-expectativas-exceto-ben-affleck

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.