Relacionamentos na era digital

As pessoas tem uma necessidade imensa de se comunicar com os outras, tem o dom de se comunicar e é uma necessidade vital.

Seguindo este princípio, nos tempos atuais com a era da tecnologia, cada dia mais são criados mecanismos para atender esta necessidade do homem de se comunicar. Com a crescente violência nas grandes cidades, chegando também até nas cidades menos populosas, o homem vive cada vez mais só; assim se torna muito difícil a construção de relacionamentos novos ou a inserção em algum grupo social, pois as pessoas estão confiando menos nas pessoas.

Por esta realidade nos dias de hoje, somada a necessidade do homem de se comunicar e de se expor, pelo avanço da tecnologia através dos meios de comunicação digital, temos uma crescente adesão de homens e mulheres de todas as idades e classes sociais a internet.

Com as novas tecnologias da informação, temos visto surgir inúmeras possibilidades de relacionamento entre as pessoas. São aplicativos, redes sociais, chats, sites e-mails. Dispositivos que também podem por vezes causar ciúmes, afinal conectado pela internet, o melhor amigo de alguém pode viver a milhares de quilômetros de distância, muitas conversas podem parecer ocultas. As ferramentas de comunicação são muitas, mas elas representam maior proximidade, vínculo e confiança entre aqueles que usufruem de seus benefícios?

Primeiramente, é preciso refletir que aquele que utiliza a tecnologia, independente do formato, é formado por átomos, não constituído por bits (menor unidade de informação que pode ser armazenada ou transmitida pela redes de computadores), ou seja, a pessoa com a qual nos comunicamos pelo universo digital é sempre real e não virtual, como muitas vezes se pode supor. O diálogo é estabelecido entre as partes por um suporte virtual, mas a conversa não é de mentira.

O meio/veículo de comunicação, seja ele jornal, rádio, celular ou mesmo o computador, promove a interação entre emissor e receptor (a pessoa que envia e a que recebe a mensagem), porém, a responsabilidade sobre o conteúdo é uma atribuição daquele que a emite. Não podemos “culpar” o avanço científico que nos proporcionou uma comunicação global instantânea por ele ser utilizado para difundir informações irrelevantes, superficiais ou falsas. Para nossa reflexão, este pensamento instigante do escritor Paiva Netto: “A tecnologia supera barreiras. A internet é um exemplo. Mas quando veremos a Solidariedade desenvolver-se à sua frente, de forma a iluminar os seus caminhos?” (no livro Paiva Netto — Crônicas e entrevistas, p. 206).

É preciso que tenhamos coragem para assumir o nosso papel diante do uso das ferramentas que nos são oferecidas, para promover o Bem, compartilhar boas práticas, renovar nossas esperanças em um mundo de Paz. Podemos recorrer às nossas potencialidades, para que possamos transformar nossos comportamentos para melhor. E, desta forma, fazer com que o progresso tecnológico seja também acompanhado de nosso desenvolvimento ético, moral e espiritual, em humanidade.

Perfeitos imperfeitos

Muitas vezes, na internet, podemos incorrer na tentação de criar um “personagem”, um “eu aprimorado”, “perfeito”, que reflita justamente os padrões do que “deveríamos” ser, com as características padrões que deveríamos ter para nos representar no ambiente digital. A “segurança” do anonimato na web favorece a ilusão. Devemos tomar muito cuidado com isso, pois a chance de magoarmos alguém ou a nós mesmos é grande.

Se não quisermos cometer “erros que nos levem a frustrações”¹, precisamos ter coragem de conduzir nossas atitudes com acerto e verdade. Tratar nosso semelhante com a mesma sinceridade com que almejamos ser correspondidos. A transição dos relacionamentos virtuais para o universo, que muitas vezes denominamos “real”, será o que fizermos dele. Se construído pelo diálogo, respeito mútuo e amor ao próximo, resulta em motivo de realização e felicidade. Do contrário, gera mágoas e sofrimentos. Mas, em ambos os casos, os vínculos são para a eternidade, uma vez que somos espíritos eternos² e nossas ações nos acompanham para além do fenômeno chamado morte, pois a vida prossegue além dela, conforme nos ensina a Religião do Terceiro Milênio.

Fonte: https://www.religiaodedeus.org/pt/religiao-no-dia-dia/relacionamentos-na-era-digital-vinculos-virtuais-ou-eternos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.